UZI magazine
 Disco da semana  Filme da semana  Agenda cultural  Roteiro
 »Early  »Wanda  »Quintas de Leitura  »Sacramento Bar
i
ndex
   
m
úsica
  notícias
  comentários
  uzi_chart
  fib 2004
   
c
inema
  notícias
  comentários
  ante-estreia
  cine cartaz
   
d
iscurso directo
   
a
genda cultural
   
o
olho de Dalí
   
v
iva las vegas
   
u
zine
  manifesto
  galeria
  links
  ficha técnica
   
 
 
 
index » discurso directo
 
Ana de Barros em discurso directo
 
Ana de Barros em discurso directo
 
UZI#1 - Comecemos pelo princípio. Quem é a Ana de Barros?
Ana de Barros - Sou eu! Hmm..mas falando na 3ª pessoa, é alguém que adora música e adora comunicar com tudo e todos.

UZI#2 - Quando é que a tua ligação à música começou?
Ana - Desde sempre...desde miúda que ouvia música na minha casa, especialmente através do meu pai (que toca saxofone) e da colecção de discos de jazz que tem em casa. Foi ele que me incentivou a começar aulas de formação musical quando tinha 7 anos. Depois aos 9 decidi aprender guitarra, devido a uma crise de inveja da guitarra nova do meu primo! A partir dai percebi que o que queria mesmo era compôr. Aos 12 anos fiz a minha primeira canção mas achava que não tinha muito jeito para cantar...nas aulas de coro do conservatório de música fazia sempre playback....! Sinceramente não me lembro quando é que achei que estas cordas vocais deveriam trabalhar mais...Mas continuei sempre a compôr e a cantar...passei por algumas bandas mas decidi trabalhar a solo.

UZI#3 - Depois dos primeiros passos, qual o momento que marcou uma aposta mais séria numa carreira musical?
Ana - hmm....A minha vinda para Inglaterra...Desde esse momento apostei mais forte.

UZI#4 - Um homem, uma guitarra e uma canção…esta fórmula diz-te alguma coisa?
Ana - É o principio das coisas para mim, para a forma como componho...só que no meu caso seria mais “uma mulher...”! Mas não me limitaria a essa fórmula, apesar de ser a mais comum...gostaria também de começar a utilizar a fórmula “ Vários homens, algumas guitarras e muitas canções”! ....Será que esta resposta faz sentido? Peço desculpa se não faz..!

UZI#5 - Como vês o panorama musical português por comparação ao que vai acontecendo no Reino Unido?
Ana - Muito diferente! E com isto não digo de maneira nenhuma que os artistas no Reino Unido são melhores ou piores do que em Portugal! Aliás, a grande diferença não está nos artistas..está no público, está nas pessoas que organizam concertos...está na cultura. Em Inglaterra as pessoas não têm medo de experimentar, de apostar. Não têm medo de ir ver uma banda que não conheçem de lado nenhum e no final dar-lhe os parabéns, se gostaram, e pedir para se juntarem à mailing list dessa banda. Aqui é fácil dar um concerto e o teu nome ser um pouco conhecido se fores realmente interessante como artista. È mais fácil alguém apostar em ti...mesmo que não seja alguém que te vá levar à ribalta....mas já ajuda.

UZI#6 - Qual é o teu maior desejo musicalmente falando?
Ana - Conseguir que a minha música chegue ao maior número de pessoas. E para isto é preciso, a maior parte das vezes, um contrato com uma editora. Espero conseguir esse tal contracto com alguém que adore música como eu e que me respeite como artista, não alguém que só veja cifrões à frente...Espero também poder tocar no maior número de sitios possíveis, com ou sem contrato!

UZI#7 - Quais os projectos para o futuro ou o que gostarias de estar a fazer dentro de vinte anos?
Ana - Dentro de vinte anos?? Bem....nessa altura espero simplesmente estar feliz. Espero ter aquela sensação que a vida me corre bem. Para um futuro mais próximo, espero divulgar a minha música o mais possivel e fazer disso o meu “ganha-pão”, porque só assim posso chegar aos 40 com a tal sensação da vida a correr bem!

UZI#8 - Para quem não conhece a música da Ana de Barros que mensagem gostarias de deixar?
Ana - Oiçam as faixas que vos dão a ouvir aqui!! A música que faço reflecte muito daquilo que sou...e a música, na minha opinião, é a melhor maneira de exprimir sentimentos, de libertar frustações e cantar alegrias. Como estão a ler esta entrevista deduzo que têm interesse em novos artistas e não só naquela música que todos insistem em enfiar-vos pela “guela abaixo”. Admiro-vos e agradeço-vos por isso. É o mais importante para artistas como eu. E acima de tudo, espero que gostem!
 «
 
mp3 (Faixa 1)
mp3 (Faixa 2)
mp3 (Faixa3)
 

 

   

© UZI magazine 2004
2017-09-22
alojamento: RealFastMedia.com