UZI magazine
 Disco da semana  Filme da semana  Agenda cultural  Roteiro
 »Early  »Wanda  »Quintas de Leitura  »Sacramento Bar
i
ndex
   
m
úsica
  notícias
  comentários
  uzi_chart
  fib 2004
   
c
inema
  notícias
  comentários
  ante-estreia
  cine cartaz
   
d
iscurso directo
   
a
genda cultural
   
o
olho de Dalí
   
v
iva las vegas
   
u
zine
  manifesto
  galeria
  links
  ficha técnica
   
 
 
 
index » música » comentários
 
Been trying to meet you
 
Been trying to meet you
 
O último dia do Super Rock, em edição especial de 10º aniversário, apresentava um cartaz invejável e uma plateia incansável. Desta mistura resultou uma noite de música que só terminou com os primeiros raios de sol. Encerrada da melhor forma por Norman Cook, o mentor de Fat Boy Slim, que despejou um set energético na improvisada pista de dança à beira Tejo.

Quando Paulo Furtado vestiu a pele de frontman dos Wray Gunn, o palco secundário foi pequeno para a sua actuação. Time to ock and roll. Um conjunto de temas interpretados de forma personalizada e com a dose de loucura de sempre. O homem tigre mostrou a sua raça.

Quando os Pixies entraram no palco, a multidão agitou-se. A improvável reunião ao vivo dez anos depois dava ao momento um significado especial. A forma empenhada como encaram esta apresentação mostrou que a banda ainda funciona, numa simbiose perfeita entre os quatro que promete ainda mais réplicas. As canções foram tocadas a um ritmo alucinante, numa vertiginosa viagem entre os discos mais marcantes da banda. Um concerto a satisfazer os fãs mais exigentes.

Os Massive Attack tiveram o mérito de não desiludir quem esperava uma actuação consistente. Ao vivo revelam toda a virtuosidade dos seus músicos e transformam cada concerto num espectáculo.
E a noite ia ficando cada vez mais quente. E cada vez se tornava mais difícil beber uma cerveja.
Lenny Kravitz trouxe mais rock. No início parecia que se ia perder em devaneios etéreos mas de repente agarrou a assistência com uma sequência de hits que incendiou os mais incautos. E a partir daí tudo fois mais fácil. Mas beber continuava díficil.

Fat Boy Slim agarrou em dois discos, pegou num exército de sete nações e iniciou a última actuação da noite. O recinto transformado em pista de dança e finalmente superbock para beber.
 «
 
 

 

   

© UZI magazine 2004
2017-12-14
alojamento: RealFastMedia.com