UZI magazine
 Disco da semana  Filme da semana  Agenda cultural  Roteiro
 »Early  »Wanda  »Quintas de Leitura  »Sacramento Bar
i
ndex
   
m
úsica
  notícias
  comentários
  uzi_chart
  fib 2004
   
c
inema
  notícias
  comentários
  ante-estreia
  cine cartaz
   
d
iscurso directo
   
a
genda cultural
   
o
olho de Dalí
   
v
iva las vegas
   
u
zine
  manifesto
  galeria
  links
  ficha técnica
   
 
 
 
index » filme da semana
 
Carandiru
 
Carandiru
 
“Doutor quer ouvir mais uma mentira? Aqui dentro ninguém é culpado.
O senhor ainda não percebeu isso?” - Seo Chico (Milton Gonçalves)

“Na cadeia ninguém conhece a moradia da verdade.” - Lula (Dionisio Neto)

“Culpa tem remédio doutor ?” - Peixeira (Milhem Cortaz)
“Se tivesse todo mundo ia querer” - Médico (Luiz Carlos Vasconcelos)

“Aqui só existe uma coisa mais importante que a liberdade.
A sobrevivência.”

Não fosse já nosso conhecido o filme "Cidade de Deus" estariamos na presença da bandeira cinematográfica do Brasil, "Carandiru".
"Cidade de Deus" ganha apenas por ter aparecido nas telas mais cedo. Podia-se discutir até que ponto "Carandiru" foi influenciado no modo de tratar a história e de nos dar a conhecer os seus personagens, tudo isso seria em vão. A obra de Hector Babenco é um caso à parte, embora voltemos a estar na presença de mais um tour pelo lado menos turístico do Brasil, e esta talvez a melhor forma de o fazer.

História já tratada pelos Sepultura no tema "Pavilhão 9", "Carandiru", baseado no livro "Estação Carandiru" de Drauzio Varella, é o relato da experiência profunda e marcante de um médico que não podia voltar as costas à realidade. Claro que também é digno de registo ver o galã Rodrigo Santoro com um par de seios de fazer inveja a muita senhora... se não acreditam vão ver!(JP)

Sinopse
Numa cela da Casa de Detenção de São Paulo, o popular Carandiru, dois reclusos (Lula e Peixeira) enfrentam-se num acerto de contas. O clima é tenso. Outro recluso, Nego Preto, espécie de "juíz" para desavenças internas, soluciona o caso em tempo de dar "boas-vindas" ao Médico, recém- chegado e disposto a realizar um trabalho de prevenção à SIDA na penitenciária. O Médico depara-se, no maior presídio da América Latina, com problemas gravíssimos: superlotação, instalações precárias, doenças como tuberculose, leptospirose, caquexia, além de pré-epidemia de SIDA. Os encarcerados lamentam, além da falta de assistência médica, de assistência jurídica.

O Carandiru, com seus mais de sete mil reclusos, constitui um grande desafio para o Doutor recém-chegado. Mas bastam alguns meses de convivência para que ele perceba algo que o transformará: mesmo vivendo numa situação-limite, os internos não são figuras demoníacas. No convívio com os presos que visitam o seu improvisado consultório, o Médico testemunha solidariedade, organização e, acima de tudo, grande disposição de viver.

Oncologista famoso, habituado à mais sofisticada tecnologia médica, o Doutor terá que praticar a sua medicina à moda antiga, com estetoscópio, sensibilidade e muita conversa. O trabalho começa a apresentar resultados e o Médico ganha o respeito da colectividade. Com o respeito, vêm os segredos. As consultas vão além das doenças, pois os detentos começam a narrar histórias de vida. Os encontros na enfermaria transformam-se em "janelas" para o mundo do crime.

Flash backs reconstroem estas narrativas. Zico e Deusdete, amigos inseparáveis na infância e préadolescência, conhecem destino trágico na cadeia (um, alucinado pelo consumo de crack, matará o outro).

O traficante Majestade desfila, com ginga, o seu poder pelo presídio, além de desfrutar do amor das suas duas mulheres, Dalva e Rosirene.

O velho Chico, homem sábio, cultivado na solitária, adora balões e está prestes a ganhar a liberdade e reencontrar os 18 filhos. O "juiz" Nego Preto, líder da massa carcerária, tem tantos problemas para resolver, que o Médico diagnostica seu mal: stress.

O matador Peixeira, com 39 condenações nas costas, passará por ruidosa conversão, tornando-se pastor evangélico. O surfista Ezequiel viverá, no cárcere, a sua ascensão e queda. Os amigos Antonio Carlos e Claudiomiro, assaltantes de bancos, desentenderão-se por causa da ardilosa e perversa Dina.

O "filósofo" existencialista Sem Chance viverá um romance de contos de fadas com a divina Lady Di. O diretor do presídio, o Sr. Pires, pisa ovos para administrar a cadeia.

A narrativa do filme arma-se como um quebra-cabeça. Uma história encaixa-se na outra para formar painel realista da tragédia brasileira. Com o Médico, o espectador acompanha os movimentos quotidianos dos presos, até a eclosão -- em 2 de outubro de 1992 -- do mais terrível abalo da história da Casa de Detenção de São Paulo (e do Brasil): o Massacre do Carandiru.
 «
 
Titulo Carandiru
Realizador Hector Babenco
Actores Luiz Carlos Vasconcelos, Milton Gonçalves, Ivan de Almeida, Ailton Graça, Luísa Mendonça, Rodrigo Santoro, Gero Camilo, Antonio Grassi.
Ano 2003
Site oficial www.carandiru.com.br
 

 


 

 
arquivo
Vai e vem - 2004-05-31
Milagre segundo Salomé - 2004-05-24
Cães Danados - 2004-05-17
Uzak - Longínquo - 2004-05-10
Playtime - 2004-05-02
A Melhor Juventude - 2004-04-25
Carandiru - 2004-04-19
O Sentido da Vida - 2004-04-12
Jackie Brown - 2004-04-04
Zatoichi - 2004-03-28
Buffalo ’66 - 2004-03-18

© UZI magazine 2004
2017-11-24
alojamento: RealFastMedia.com